Chocolate quente: nem só de picos nevados (ou fondue) vive a Suíça!

Com temperaturas tipo tropicalientes e natureza explodindo em cores, texturas e aromas, a Suíça – país já desejado por seu inverno – também entrega memórias inesquecíveis aos viajantes em busca de um lugar ao sol

  • 3 janeiro 2017

Para começar a entender como funciona o verão na Suíça, é preciso pulverizar clichês. Nos meses de calor mais intenso (entre junho e agosto), praticamente todos os habitantes daquelas fronteiras botam, literalmente, a cara no sol. Durante o verão, termômetros batem facilmente a casa dos 30 graus, montanhas estendem tapetes sem-fim de flores raras (sabia que são elas que dão o sabor especial ao leite das vacas que produzem os melhores queijos e chocolates do mundo?) e lagos que se assemelham a pequenos mares continentais, tamanha sua extensão geográfica, recebem centenas, milhares de banhistas.

GIZ visitou três cidades tipicamente francesas da Suíça: Genebra, Lausanne e Crans-Montana. Embarque imediato!

Genebra

giz-viagem-suica-foto-divulgacao-04

Cidade-sede internacional da ONU (tão logo, “a capital mundial da paz”), é excelente ponto de partida aos aventureiros de primeira viagem: Genebra mistura tradição com presente e futuro. O CERN (acelerador de partículas que é objeto de fascínio na comunidade científica), sediado em prédio com pompa de espaçonave, fica a poucos metros da região vinícola que abriga caves centenárias e artesanais, caso da Château de Bois. GIZ recomenda: o passeio de bike pelos vinhedos, com grand finale no delicioso Café de Peney, restaurante e bar com menu assinado pelo estrelado chef Philippe Chevrier. Faça também um piquenique no Parc des Eaux-Vives: inesquecível! Para não passar aperto, hospede-se no finíssimo Le Richemond. E, como nosso editor, não fique com vergonha de mergulhar de cabeça no Bains de Pâquis – a praia dos suíços. Para seguir no Instagram: @GenevaTourism @Le_Richemond

Lausanne

giz-viagem-suica-foto-divulgacao-05

A apenas 45 minutos de trem de Genebra, fica no cantão de Vaud (mesma região de Vevey e da famigerada Montreux, onde Charlie Chaplin e Freddie Mercury passaram seus últimos anos de vida). Com mercado aberto que parece cenográfico de tão ajustado (o Marché de Lausanne, à Rue du Bourg, aberto quartas e sábados), a cidade tem uma dinâmica bem parecida com a de Genebra: ruas recheadas de gente jovem reunida entre pontos turísticos, a exemplo da catedral de Notre-Dame de Lausanne. Vale tirar um dia inteiro para visitar a região dos vinhedos e degustar o típico vinho branco Chasselat, produto exclusivamente suíço – suave e delicioso. GIZ indica: Domaine du Daley, vinícola artesanal com vista arrebatadora e histórias mil. Como essa é uma das regiões com maior concentração de chefs Michelin por metro quadrado na Europa (são mais de 20 nomes), a culinária é ponto alto: do descolado Le Nomad ao mais classudo Château d’Ouchy. Para se hospedar, aposte no Beau-Rivage Palace, um dos hotéis mais impressionantes que há na Europa. Ali, logo ao lado do Museu Olímpico. Para seguir no Instagram: @MyLausanne @BeauRivagePalace

Crans-Montana

giz-viagem-suica-foto-divulgacao-08
Reconhecida por ter o ar mais puro de toda a Europa, Crans-Montana fica em outro cantão: Valais. A altitude da região (1.500 metros acima do nível do mar) faz com que o sol brilhe 300 dias por ano, mesmo nos picos do inverno. Durante o verão, o clima segue ameno e agradável para nossos padrões fervilhantes. Esse destino funciona tanto para quem busca romance – comer raclette depois de ouvir os tocadores de alpshorn com vista para as montanhas é emocionante, mesmo! – quanto para os aventureiros: incontáveis trilhas que podem ser percorridas a pé ou de bike. Para repor calorias perdidas, invista no L’Atelier de David, doçaria do chef pâtissier David Pasquit, um dos mais prestigiados da Suíça. A hospedagem só pode ser uma: o Guarda Golf Hotel. A propriedade pertence a Nati Felli, empresária natural de Bauru, interior de São Paulo. A hospitalidade brasileirinha está presente em cada detalhe do hotel que descortina um dos campos de golfe mais procurados do mundo – sem exageros. Peça à Nati para conhecer também o Chetzeron, hotel que pertence a um de seus (muitos) amigos e que oferece o melhor do design com vista deslumbrante e culinária, claro, irresistível! Para seguir no Instagram: @CransMontana @HotelGuardaGolf


Mais informações sobre a Suíça:
myswitzerland.com

Links úteis:
home.cern
cafe-de-peney.ch
parcdeseauxvives.ch
bains-des-paquis.ch
lausanne.ch
daley.ch
chateaudouchy.ch
olympic.org/museum
chetzeron.ch