Revista Giz

03 Mai 2017 - Jul 2017

#3 | Água Viva

RAIZ FORTE

Raiz Forte: a força poética do encontro entre o consultor de estilo Aldi Flosi + e a florista Aline Matsumoto

O enfant terrible Aldi Flosi garimpa peças-chave em sua coleção de cerâmicas vintage para abrigar os comoventes arranjos botânicos criados pela florista Aline Matsumoto

  • 1 agosto 2017

giz-03-raiz-forte-1-

Memória, garimpo e decoração afetiva são palavras que pipocam em fontes garrafais na nuvem de tags do paulista Aldi Flosi, 34 anos: ele, que foi editor de estilo da Casa Claudia durante uma década, é atualmente a jugular criativa do escritório Yamagata Arquitetura. “Comecei a colecionar essas peças de cerâmica em garimpos nas lojas e brechós do Brasil, e também em viagens internacionais”, conta sobre os objetos que elegeu para receber os arranjos da flower designer Aline Matsumoto, 43 anos, com exclusividade para GIZ.

“O que me atrai neles são suas formas geométricas, linhas escandinavas e, principalmente, o acabamento fosco, sem brilho. Fui comprando de acordo com essas referências, buscando as marcas, épocas, fábricas como Kaiser, Rosenthal, Ettinger, Heinrich…”, revela (em partes) o seu mapa da mina. “Tenho também caixas, gamelas, esculturas, castiçais – tudo dentro dessa temática geométrica-escandinava-fosca”. Outro cordão umbilical é o fator vintage: “O vaso mais novinho deve ter, por baixo, uns 15 anos. Não há nada de recente nessa coleção, são produções antigas”, entrega. Em um gesto quase antagônico, porém igualmente intenso e comovente, a florista Aline Matsumoto não se acanhou diante das cerâmicas cheias de história para contar: “A delicadeza e a monocromia da seleção de vasos feita pelo Aldi me instigou a ideia de trabalhar um microcosmos”, revela a florista que em 2016 ganhou os holofotes do métier ao executar a jabuticabeira “flutuante” que roubou a cena no ambiente projetado por Nildo José na Casa Cor SP – a ideia da árvore surgiu em uma conversa de WhatsApp entre Nildo e Allex Colontonio, publisher da GIZ.

“A delicadeza e a monocromia da seleção de vasos feita pelo Aldi me instigou a ideia de trabalhar um microcosmos”

Aline, nipônica destemida, foi acionada para fazer a coisa acontecer. “Foi o ponto alto da minha carreira em termos de divulgação”, assume. Nestas páginas, ela saiu a campo para pesquisar uma alternativa à exuberância tropical com a qual costuma trabalhar. “Optei por uma predominância do verde e suas nuances, que aparecem nos frutos, nas folhas e nas flores. Isso tudo para mostrar, em escala diminuta, a surpreendente riqueza e diversidade de elementos da Mata Atlântica”, diz ela, que contabiliza entre seus ídolos nomes de projeção planetária, como Azuma Makoto, Daniel Öst e Rebecca Louise Law. Na parede da memória de Aline, o encontro derradeiro com a linguagem afetiva que é tão característica do trabalho de Aldi Flosi: “Herdei o gosto pelos arranjos da minha mãe, que na minha infância decorava nossa casa e mostrava a todos a importância das flores e a riqueza dos detalhes em cada composição”.

giz-03-raiz-forte-2

Os vasos cerâmicos brancos e foscos de Aldi Flosi ornamentados por arranjos botânicos de Aline Matsumoto: flores, folhas e frutos redesenham um microuniverso de Mata Atlântica virgem. Foto: Salvador Cordaro

Aldi Flosi
@aldiflosi

Aline Matsumoto
@alinematsumotoflores